Depois de apresentar em Guardiões da Galáxia um time de heróis completamente desconhecido do grande público numa aventura especial, considerada de nicho, parecia que a Marvel era capaz de acertar mesmo em seus projetos mais ousados … e era verdade.

Eternos, além de reunir parte desses elementos, tem muito mais personagens e surfa numa das teorias mais amadas pelos ufólogos, a dos Astronautas Antigos. Agora sim, temos a maior ousadia (ao menos até o próximo Homem-Aranha)!

Alternando entre várias épocas, com beleza deslumbrante, Eternos mostra como os personagens de mesmo nome influenciaram na evolução da humanidade, sendo confundido com deuses e até personagens da Distinta Concorrência. Então, após vários séculos de paz, eles têm que se reunir novamente para enfrentar seus arquirrivais Deviantes.

Seria impossível falar de todos os personagens principais (que são dez), então vamos resumir que a Marvel deu show de diversidade. Ao apresentar personagens de destaque surdo, negro, oriental e gay, além de papel central para as mulheres, a diretora Chloé Zhao, conseguiu mostrar como podemos ser melhores como humanidade e ignorando nossas diferenças.

E pra quem gosta de ação, o filme também tem de sobra, embora nas cenas escuras elas pareçam um tanto confusas. Em síntese, um belo filme no qual, apesar das suas mais de duas horas e meia, você nem vê o tempo passar.

Nota: 🎃🎃🎃🎃 Dei valor!

Onde assistir: Cinemas. 

Sinopse: Os Eternos são uma raça de seres imortais que viveram durante a antiguidade da Terra, moldando sua história e suas civilizações enquanto batalhavam os malignos Deviantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.