Filme que retrata um advogado de sucesso em ascensão em sua vida profissional, porém com vários problemas em sua vida pessoal, seja com o seu pai (o juiz), o falecimento da sua mãe, seus irmãos ou em sua vida conjugal. Em segundo plano, reforça a ideia da difícil missão de um juiz decidir um caso sem colocar em jogo os seus valores pessoais e preconceitos, ou seja, decidir com imparcialidade e tentando lidar com essas situações. Excelente filme na qual somente uma tragédia poderia unir a família.

Popular por personagens épicos como Homem de Ferro e Sherlock Holmes, Robert Downey Jr (Hank Palmer) se aventurou desta vez em um papel mais sério (apesar de alguns momentos de humor). Um papel que exigiu uma ótima performance e trabalho do ator, onde fez um trabalho inigualável no filme, com cenas fortes e dramáticas como as da implicância de um pai autoritário com o filho regenerado. Apesar de Hank e o pai não se darem bem, Hank resolve ajudá-lo e, como eles nunca se deram bem, a convivência vai ficando cada vez mais complicada. A cada passo que Hank dá em direção à inocência de seu pai, outro passo aponta para sua condenação iminente. Este é o pano de fundo do longa dirigido por David Dobkin.

Pode esperar grandes e fortes emoções ao ver o filme, mas não pense que terá algo relacionado ao Direito, pois se trata de um filme que mostra mais as relações familiares e até que ponto uma pessoa é capaz de ir para evitar outras, e até onde você aguenta sem dar o braço a torcer. O Juiz é uma produção pretensiosa e, ao mesmo tempo, pouco ousada, do Team Downey, pois tenta declaradamente recuperar o prestígio do “filme de tribunal”, subgênero que já cativou Hollywood no passado.

O roteiro é nota 10, com diálogos inteligentes, contundentes e sem palavras quando não necessárias. Nesse caso, assuntos jurídicos dão um tom um pouco diferente. Um pouco lento no início, mas o final vale a pena. Um filme da Team Downey (produtora fundada por Robert e sua esposa, Susan Downey), com um elenco de primeira: Downey Jr., Robert Duvall (Joseph Palmer), Vera Farmiga (Samantha Powell), Vincent D’Onofrio (Glen Palmer), Billy Bob Thornton (advogado de acusação). 

Onde assistir? Netflix.

Nota: 🎃🎃🎃🎃 Dei Valor.

Sinopse: Advogado de muito sucesso, Hank Palmer (Robert Downey Jr.) volta à cidade em que cresceu para o velório de sua mãe, que há muito não via. É recebido de forma hostil pela família e resolve ficar um pouco mais quando seu pai, veterano juiz, é apontado pela polícia como responsável pela morte de um homem que condenou há vinte anos. Mesmo não se entendendo com o pai, Hank debruça-se sobre o caso, mas os dois não conseguem conviver amigavelmente e a possibilidade de condenação aumenta a cada revelação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.